A importância do feedback

Absorver o momento, anotar e planejar melhorias é fundamental para a nossa evolução. Não podemos desperdiçar esse momento.

             Acredito que a falta da disseminação da necessidade de planejamento, estudo e estruturação para se dar um feedback eficaz causou um grande problema no mundo corporativo. Hoje, o que observamos é que a palavra feedback está “negativada”. Quando chamamos alguém receber este retorno profissional, a pessoa já sofre por antecipação. Isto por que ao longo dos anos, foram aumentando os erros na metodologia do feedback. Antes de mais nada, esse retorno profissional não deve ser feito de “qualquer forma”.

             Enquanto recebedores de feedbacks, nós precisamos atentar que essa é uma grande oportunidade e que, principalmente, é um momento profissional e não pessoal. Todas as considerações feitas durante o momento de feedback devem ser voltadas à performance profissional do colaborador. Absorver o momento, anotar e planejar melhorias é fundamental para a nossa evolução. Não podemos desperdiçar esse momento. Devemos lembrar que empresas pagam para consultores descobrirem e apontarem esses aspectos de melhoria. Portanto a hora do feedback é um momento de descobertas.

             É fundamental que os feedbacks sejam constantes. E se eles não ocorrerem nós devemos buscá-los. Não espere! Outro ponto importante é saber que podemos e devemos receber feedbacks de várias direções, inclusive dos pares e subordinados. O feedback não deve ser algo que sempre vem de cima para baixo, “Top Down”. Deve haver humildade para receber retornos.

             Por outro lado, os gestores precisam aprender a tornar o feedback uma rotina prazerosa. Estudar sobre técnicas e táticas de executar esta “realimentação” é fundamental. Neste artigo, apresento para vocês a técnica que utilizo no meu dia a dia, conhecida por “Feedback Sanduíche”. Essa metodologia, de maneira simples, sistematiza o procedimento apresentando uma sequência - ou um roteiro - para o momento. A denominação existe pelo fato de se parecer com as três camadas do sanduice, sendo o recheio a melhor parte. São elas:

1.     Elogios iniciais: inicie o feedback salientando os pontos mais importantes de destaque no colaborador. Calcule em média 3 elogios para cada ponto de atenção de será abordado. Seja claro, empreenda energia e uma linguagem simples nesta fase;

2.     Feedback: nesse ponto, fale sobre os pontos de atenção. A clareza se faz necessária durante todo o processo. Explique os motivos e as percepções sobre estas “falhas”. Não torne isso algo pessoal. É um momento profissional. Finalize esse momento perguntando se ficou clara a compreensão do assunto abordado até o momento.

3.     Encorajamento: nessa fase final, apresente palavras de encorajamento e apoio. Saiba que aqui o momento é a hora de “encher o tanque” do funcionário e o fazer crer que ele tem total condição de se superar e conseguir resultados cada vez melhores.

       Espero que esse artigo tenha ajudado na reflexão sobre o tema. Lembre de seguir as dicas. Se tiver algum comentário ou sugestão de tema para o próximo artigo deixe o registro. Desejo sucesso na sua vida.

Compartilhe este artigo:
Newsletter
Cadastre seu e-mail e acompanhe nossas notícias e novidades
Tel.: +55 (84) 3345.1242 / 9 8164.6363
E-Mail: lemont@lemosemontenegro.com
Endereço: Av. Rui Barbosa, 1868 - Ed. HC Plaza, Torre 2 - Loja 608 - Lagoa Nova - Natal- 59.056-300